BLOG

Seu operador está realmente monitorando suas imagens?

Instalar um sistema de câmeras para monitoramento por vídeo é um investimento com grandes retornos em questão de segurança, mas que requer determinados cuidados. Uma vez que seu circuito interno para recebimento de imagens é devidamente instalado, ainda é necessário acompanhar os equipamentos para verificar se estão em perfeito funcionamento e garantir a manutenção preventiva.

Além disso, se você possui uma equipe própria de operadores para monitorar seu parque de câmeras ou se terceirizou esse tipo de serviço, está contando com a eficácia na atividade desses profissionais em reportar qualquer situação fora da normalidade e tomar medidas cabíveis. Porém, como ter certeza que isso está sendo executado de fato?

Muitas ocorrências podem passar despercebidas pelo operador de imagens durante o videomonitoramento.

Muitas ocorrências podem passar despercebidas pelo operador de imagens durante o videomonitoramento.

Como ocorre nas empresas?

Em muitos negócios, é comum não haver qualquer tipo de checagem sobre a atuação dos operadores de CFTV, podendo gerar problemas futuros para a segurança daquele local. Nas organizações que adotam sistemas tradicionais e realizam monitoramento reativo, essa questão chega a ser ainda mais crítica, pois, como nenhum alarme é gerado pelas câmeras assim que eventos específicos ocorrem, facilmente podem não ser detectados pela equipe de operadores de imagens.

O que muitos não sabem é que, por vezes, a falha não é gerada de um erro proposital do funcionário, mas das condições de trabalho que levam à queda na produtividade. Segundo experimento da Polícia Britânica, quanto mais telas são observadas simultaneamente, mais difícil é para os operadores identificar determinada imagem solicitada. Os resultados mostraram que, diante de apenas um monitor, os profissionais eram assertivos em 85% das vezes, enquanto que, diante de 9 monitores, esse índice caía drasticamente para 53%.

Imagine a taxa de erros dessa função em empresas que chegam a delegar 30 telas para uma só pessoa. Infelizmente é um cenário real que já observamos em diversas situações e com diferentes clientes. Casos assim revelam o enorme desperdício de investimento que ocorre quando o trabalho de vigilância não é bem planejado, pois mesmo sem resultados concretos, os custos continuam os mesmos.

Já em empresas que adotam o monitoramento inteligente através dos analíticos de vídeo, a situação se torna mais amena. Pelo fato das ocorrências de risco serem detectadas automaticamente pelo software, há uma garantia maior de que, ao menos quando os alarmes são disparados nas telas, os operadores estão efetivamente observando o circuito de câmeras. Ainda assim, fica a dúvida entre os gestores se as devidas ações são tomadas após a identificação dessas ocorrências.

Como garantir o monitoramento das minhas imagens?

Algumas técnicas são bastante utilizadas por equipes de segurança para assegurar a eficácia na atividade dos operadores de CFTV, desde táticas mais simples à aplicação de tecnologias específicas. Entenda cada uma delas e sua respectiva capacidade de execução de acordo com o tipo de negócio em questão.

Eventos de teste

O exemplo mais comum, e também o mais barato e simples, é realização de eventos de risco para testar se a equipe de monitoramento está efetivamente tratando as ocorrências de determinado local. Um gestor pode pedir para algum funcionário tentar pular o muro e aguardar se alguma providência será tomada.

Apesar de fácil, essa opção se mostra pouco prática, já que irá consumir tempo e deslocamento de pessoas das suas atividades específicas. Em plantas bastante extensas ou fábricas com diversas unidades, esse tipo de ação se mostra quase impraticável, pois demandaria uma grande quantidade de pessoas em diversos pontos do local.

Isso restringe, então, a eficácia dessa estratégia para negócios de pequeno ou médio porte. Porém, mesmo nesses casos, é necessário realizar a manutenção dessa prática, deslocando pessoas com certa frequência para checar se o monitoramento está sendo realizado a cada semana/mês.

Câmeras na central de monitoramento

Equipamentos de vídeo dentro da sede de monitoramento, seja ela própria da sua empresa ou terceirizada por uma prestadora de serviços, auxiliam a verificação da rotina dos operadores. Plataformas podem ser disponibilizadas para desktop ou smartphone e permitir o acompanhamento em tempo real pelo gestor.

Com isso, é possível checar se toda equipe está ativa naquele momento específico e acompanhar suas ações. Certamente, é um trabalho bem mais prático e rápido do que a realização de testes e funciona para empresas de qualquer porte. Ainda assim, requer a observação constante das imagens da equipe por alguém.

O monitoramento da própria equipe de operadores também se faz necessária para verificar o

O monitoramento da própria equipe de operadores também se faz necessária para acompanhar ações

Analíticos de vídeo

Uma opção mais sofisticada é implantar na sala de monitoramento analíticos de vídeo semelhantes àqueles presentes no seu ambiente de trabalho. Softwares geram alertas para o gestor ou mesmo para o próprio operador, caso o funcionário permaneça muito tempo parado, podendo indicar que ele dormiu. A solução é bastante eficaz, pois não depende de checagem humana e gera alarmes automaticamente através do sistema inteligente de monitoramento.

Além de análise do movimento corporal, sensores podem ser acoplados às telas dos operadores para analisar o movimento da íris e indicar a média de tempo no qual profissional volta o olhar para o as imagens do monitor. Nesse caso, diferente do que ocorre com os analíticos de movimento, não são gerados alarmes simultâneos, apenas relatórios mensais.

O ideal é avaliar o custo-benefício de pôr em prática cada solução para o seu tipo de negócio. Por fim, lembramos que essas estratégias não precisam ser independentes, agindo perfeitamente em conjunto entre algumas ou todas elas. Entre em contato conosco e encontre a opção ideal de monitoramento e verificação da equipe para a sua empresa.