BLOG

Perdas no varejo chegam a R$ 21,4 bi. Saiba como combatê-las

As perdas no setor de varejo no Brasil são um velho inimigo dos gestores de supermercados, lojas de departamento, drogarias e demais estabelecimentos comerciais. De acordo com a Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (ABRAPPE), o índice de perda médio identificado em sua mais recente pesquisa foi de 1,38% sobre o faturamento líquido de R$ 1,55 trilhões em 2018, frente a uma perda projetada de R$ 21,46 bilhões no período.

Segundo o estudo, o segmento supermercadista se manteve com o maior índice de perda, ocasionada principalmente por sua grande quantidade de produtos perecíveis (representa 45% do total). O setor de Perfumaria também teve mais perdas no ano passado, 174,29% a mais que em 2017.

A pesquisa aponta as quebras operacionais aparecem na liderança como uma das principais responsáveis pelas perdas em diversos segmentos do varejo, e muitos estabelecimentos não sabem como reduzir e até evitar estas perdas.

Confira neste artigo algumas formas de minimizar as perdas no varejo, potencializar sua operação e reduzir custos.

O segmento supermercadista  é um dos que mais sofre com perdas de produtos, impactando na receita destes estabelecimnentos

O segmento supermercadista é um dos que mais sofre com perdas de produtos, impactando na receita destes estabelecimentos

  1. Roubo e furto de produtos

Dentre os diferentes motivos que levam as perdas estão os infelizes roubos e furtos de alimentos, equipamentos, roupas e acessórios. Em muitos estabelecimentos de varejo, estes delitos só são percebidos um certo tempo depois de terem acontecido, dando ao gestor apenas a oportunidade de tomar ações corretivas e buscar se recuperar do prejuízo já contabilizado.

A análise de vídeo inteligente permite uma ação proativa, quando um objeto é retirado de onde não deveria em tempo real. Além disso, os analíticos identificam situações como invasão de área ou aglomeração de pessoas, acionando imediatamente a Central de Monitoramento.

  1. Gestão de estoques e ocorrências

Um bom trabalho de gerenciamento dos produtos é um bom começo para evitar perdas. Através do registro das causas antes do descarte físico ou furto do produto pode gerar informações importantes para um diagnóstico mais preciso, gerando, assim, um resultado de redução de curto prazo.

O Business Intelligence AMS é um aliado nesta questão. Com um software próprio para este segmento, relatórios serão evidenciados de acordo com sua necessidade (dias sem acidentes, intrusões, alarmes, eventos, hora/dia/mês/ano), possibilitando a identificação das melhores práticas entre suas filiais. Além disto, o funcionamento das soluções também é mostrado. Se um plano de ação foi colocado em prática, o BI AMS ajudará identificar se deu certo.

  1. Análise da produtividade do funcionário

Dependendo do treinamento e da função executada, a atuação dos funcionários pode ser decisiva na perda. Como identificar o que está ocorrendo, no atendimento ao consumidor, na devolução e troca de mercadorias e principalmente nos check outs? Soluções de vídeo analítico podem auxiliar neste quesito, apontando objetos retirados e deixados, por exemplo.

Acompanhar o fluxo do cliente nas lojas pode mostrar qual ponto é menos visitado, evitando perdas e  gerando novas estratégias de vendas.

Acompanhar o fluxo do cliente nas lojas pode mostrar qual ponto é menos visitado, evitando perdas e gerando novas estratégias de vendas.

  1. Controle de temperatura e umidade em geladeiras

Supermercados, farmácias, atacarejos e outros estabelecimentos geralmente têm geladeiras, freezers ou salas climatizadas com produtos que precisam estar sob uma temperatura ideal. Muitas perdas de produtos perecíveis também estão relacionadas a este fator, nem sempre fácil de ser regulado e demandando mão de obra para verificação constante.

Este aspecto também é importante para adequação à normas regulamentadoras, que se estiverem disformes, podem render altas multas ao estabelecimento. De forma integrada, é possível monitorar também a temperatura de um ambiente ou equipamento com visualização via dispositivo móvel. O gestor recebe um alerta caso a temperatura saia do alcance programado (entre – 10°C e 10°C, por exemplo), e assim, pode seguir o plano de ação traçado – acionar um operador para ajuste via SMS, abrir uma ocorrência etc.

  1. Representação de movimento do cliente

Onde e como o cliente circula por uma loja diz muito sobre ele. Ter ciência de seus gostos, o tempo que tem disponível para cada corredor ou setor, os lugares mais atrativos para ele, entre outras informações podem auxiliar na distribuição de produtos. Conhecer a jornada do cliente na loja dá ao varejista a oportunidade de criar uma experiência personalizada, mesmo que seja para um grupo de pessoas.

Para este monitoramento, utiliza-se o Heatmap (Mapa de Calor em inglês). A tecnologia inserida nas câmeras de segurança dos estabelecimentos mostra através de cores quentes onde há mais movimento e com cores frias, onde os clientes passam com pouca ou nenhuma frequência.

Com este dado, é possível reorganizar os produtos onde há mais movimento e até criar estratégias para compras, como campanhas e promoções – além de repensar as áreas que estão “frias”. Esta estratégia pode minimizar as perdas de produtos pouco vistos e ainda gerar campanhas promocionais que podem fidelizar o cliente.

Como a Avantia auxilia no combate às perdas do varejo

Com tecnologia própria, o AMS Varejo monitora situações que podem gerar perdas materiais, financeiras ou de imagem para o estabelecimento. A partir dos analíticos de vídeo, ocorrências são identificadas rapidamente pela Central de Monitoramento, que segue o plano de ação previamente traçado para cada caso de maneira customizada e proativa.

Fale conosco e saiba quais soluções podem ajudar seu negócio a reduzir perdas, impactando no faturamento.