BLOG

Onde armazenar imagens de CFTV?

Armazenar corretamente as imagens capturadas pelas câmeras de segurança da sua planta é uma ação fundamental para que seu investimento em CFTV tenha resultados concretos. Diversos negócios enfrentam consequências bastante negativas por precisarem averiguar as gravações de determinado momento, mas descobrirem que os dados não foram corretamente salvos.

É importante entender que não existe escolha certa, pois vai variar de caso para caso. Conheça algumas opções para armazenar com eficácia as suas imagens de CFTV e saiba as vantagens e desvantagens de cada uma para escolher a que é ideal para o seu negócio.

As imagens de CFTV precisam não só serem armazenadas, mas contarem com plano de ação para ocorrências - Foto: Roberto Pereira

As imagens de CFTV precisam não só serem armazenadas, mas contarem com plano de ação para ocorrências – Foto: Roberto Pereira

Armazenar em nuvem

Realizar o armazenamento de dados através de uma nuvem é uma das opções mais práticas atualmente. Funciona da seguinte forma: os arquivos são salvos remotamente em servidores online, ou seja, sem uso de uma mídia física. Geralmente os arquivos podem ser fracionados para melhor armazenamento e possuem criptografia para evitar ataques hackers, principalmente nuvens e grandes servidores, como Google e Microsoft.

Vantagens:

Permite acesso remoto sem a necessidade de CDs ou pendrives. Ou seja, é possível acessar as imagens em qualquer local através de computadores e smartphones. Além disso, não ocupa espaço nas máquinas da central de monitoramento e fornece fácil compartilhamento, caso outras pessoas necessitem ver as imagens.

O armazenamento em nuvem fornece fácil compartilhamento, mas tem alto custo

O armazenamento em nuvem fornece fácil compartilhamento, mas tem alto custo dependendo da quantidade de Giga Bytes.

Desvantagens:

É preciso estar conectado à internet para que a sincronização ocorra, então, redes com baixa qualidade afetarão o armazenamento correto das suas imagens. O mesmo ocorre com o acesso remoto em computadores e celulares, que ficará comprometido a depender da qualidade da conexão Wi-Fi, 3G ou 4G.

Um ponto que pesa bastante nessa escolha é o preço. Existem diversos servidores com opções gratuitas, porém, com restrições de volume de arquivos e a quantidade de dados gerados pelo seu sistema CFTV. Provavelmente, isso irá exigir planos pagos com capacidade para armazenar maior quantidade de giga bytes. Lembre-se que os planos para armazenamento em nuvem são mensais, enquanto mídias físicas exigem apenas um gasto inicial, apesar de não serem tão práticas quanto a opção em nuvem.

Armazenar em servidor interno

O servidor interno são máquinas presentes no interior de empresas responsáveis por armazenar todos os sites, informações e programas da organização. No caso do monitoramento de CFTV, é recomendável implementar um servidor dedicado apenas para o armazenamento das imagens de vídeo, caso contrário, a sua rede ficará bastante comprometida, devido à enorme quantidade de dados e mais suscetível a ataques hackers.

Vantagens:

Não depende de conexão com internet para estar disponível para a rede interna da empresa e não exige maior custo para grande volume de dados armazenados. Também apresentam menos falhas que proporcionam invasões, garantindo o sigilo das suas imagens de vídeo.

 Dados do CFTV armazenados em servidor podem apresentar menos falhas e garantem maior sigilo de informações


Dados do CFTV armazenados em servidor podem apresentar menos falhas e garantem maior sigilo de informações

Desvantagens:

Caso você precise compartilhar os dados de imagens com usuários externos, precisará de um link de internet estável para manter a qualidade da transmissão. Além disso, é necessário um cuidado especial com as máquinas dos servidores, pois devem estar abrigadas em um Data Center, ou seja, em ambientes controlados com climatização especial e controle de quem possui acesso a ela, além da manutenção exigida. Vale avaliar se é o caso da empresa, já que esta solução pode ser adaptável para empresas de qualquer porte – mas que demandem um alto índice de dados para armazenamento.

Armazenar em cartão de memória

Os modelos de câmeras IP (digitais) possuem entradas para cartões de memória, podendo ser SD (capacidade de armazenar até 2GB), SDHC (4GB a 32GB) e SDXC (32GB a 2TB). Após a gravação nos cartões, os dados de imagens podem ser enviados a outros aparelhos de armazenamento (DVRs ou computadores) através de cabo ou via wireless, a depender do modelo da câmera.

Vantagens:

Não depende de conexão com internet para armazenar as imagens. Mesmo que haja uma queda na conexão e os dados não sejam enviados para o computador, é possível resgatá-los fisicamente através do cartão instalado na câmera. Também não exige custo de manutenção, pois só é necessário investir verba inicialmente para comprar o cartão, sem precisar contratar equipe de manutenção ou custear o armazenamento mensal.

Desvantagens:

Você precisará de um cartão de memória para cada câmera, o que pode exigir uma grande quantidade a depender do tamanho do seu parque de CFTV e terá que gerenciar cada uma individualmente.

Armazenar em DVR/NVR/HVR

O DVR (Digital Video Recorder) é um aparelho que realiza gravação das imagens de câmeras analógicas de segurança, sendo dedicado apenas para a tarefa de monitoramento de vídeo. No caso das câmeras IP, é necessário utilizar um NVR (Network Video Recorder) ou um HVR (Hybrid Video Recorder), que que conecta câmeras IP e analógicas ao mesmo tempo.

Vantagens:

DVR – É comumente usado pelo mercado devido ao seu custo benefício. Os DVRs oferecem muitos recursos (dependendo da marca e modelo) às vezes desconhecido da maioria das pessoas, como: monitoramento em tempo real; Gravação das imagens em HD; Backup de imagens em HD externo ou na nuvem; Acesso ao sistema de CFTV através de dispositivos móveis como celular e tablets e acesso a gravação em câmeras e horários específicos, entre outros.

NVR – Um dos benefícios da tecnologia IP é que não é necessário a ligação de um cabo direto entre o NVR e a câmera, a única obrigação é estarem na mesma rede, o que em alguns projetos fazem uma brutal diferença no investimento em Infraestrutura. Processador e capacidade de espaço para gravação são bem altos.

HVR – Por serem um gerenciador central para as duas tecnologias, alguns aparelhos HVR suportam também a tecnologia AHD, que é a sigla para Analogic High Definition. AHD é a tecnologia utilizada em câmeras analógicas (ligadas através de cabos coaxiais) com capacidade de gerar imagens em HD, ou seja, em alta definição, nesse caso são utilizados os gravadores HVR com suporte a essa tecnologia.

Desvantagens:

DVR – É mais básico por armazenar apenas imagens analógicas, ou seja, se você investir em câmeras IP, a qualidade das imagens armazenadas permanecerá sendo de analógica.  O limite de gravação desse aparelho é de 960 linhas de resolução.

NVR –  Por sua capacidade de gerenciar todo o monitoramento das câmeras IP, tem o valor mais elevado.

HVR – É mais recomendado para quem não pretende trocar as mini câmeras e as analógicas de baixa qualidade por tecnologias mais recentes, o que pode comprometer a visualização em casos de identificação de algum indivíduo, por exemplo.

Cada solução depende do negócio e do fim a que se destina. Entretanto, é importante destacar que independente do processo de armazenamento escolhido, é essencial ter um plano de ação sobre as imagens gravadas. De nada valerá ter imagens de um ataque ou roubo depois do acontecido. Com analíticos de vídeo implantados nas câmeras, é possível tratar as ocorrências no momento que acontecem e poupar não apenas perdas materiais, mas principalmente as vidas das pessoas envolvidas no seu negócio – sejam clientes ou colaboradores.

As imagens dos eventos possuem alta disponibilidade. Graças à otimização no uso da banda, são armazenadas na nuvem, inclusive para acesso mobile. O uso de analíticos de vídeo e áudio, ronda virtual e a gestão em tempo real por software dos dispositivos ativos garantem uma maior eficiência do operador.