BLOG

Jogo rápido sobre segurança e tecnologia – com Luciano Caciato

Dando continuidade ao tema sobre segurança no ambiente estudantil, convidamos Luciano Caciato, Diretor de tecnologia da Informação e Comunicação da UNICAMP para falar sobre segurança em ambientes de educação e tecnologias voltadas para a área.

Acompanhe:

Luciano Caciato, Diretor de

Luciano Caciato, Diretor de tecnologia da Informação e Comunicação da UNICAMP

1) Na sua visão, como as escolas e universidades veem a questão da segurança atualmente no Brasil? De forma geral, há investimento na área em novas soluções?

As escolas e universidades estão sempre atentas em proporcionar um ambiente tranquilo e seguro para seus alunos, professores e funcionários, utilizando-se de regras e câmeras de monitoramento.

Sim, os investimentos são percebidos na forma de câmeras de segurança e sistemas de controle de acesso. Mas, a grande dúvida se as instituições estão sendo assessoradas de forma correta, pois temos uma diferença muito grande em falarmos de sensação de segurança versus o ambiente realmente seguro, utilizando técnicas específicas que consigam preventivamente sanar um problema de segurança.

2) De que maneira a comunidade acadêmica (reitores, professores, acadêmicos em geral) pode colaborar para a segurança das instituições de ensino?

As instituições podem colaborar primeiramente trazendo essa discussão para o âmbito institucional, mostrando suas preocupações, deficiências e propostas para serem discutidas com a comunidade acadêmica.

Além disso, debater de forma séria a necessidade do policiamento dentro dos campi das universidades.

E por fim, este tema deve estar nos planejamentos estratégicos e planos diretores das instituições.

3) Como um projeto de cidade inteligente pode abranger instituições de ensino?

A abrangência da cidade inteligente é muito grande, numa definição livre, cidade inteligente é a utilização da tecnologia para proporcionar o bem-estar das pessoas com maior qualidade de vida nas cidades, dessa forma, as instituições de ensino nos trazem à tona alguns dos subsistemas da cidade inteligente, como smart education, safe cities e smart transport. E mais, existem instituições de ensino que podem ser consideradas minis cidades inteligentes. Por exemplo, a UNICAMP tem uma população estimada em 80.000 pessoas por dia, que ainda flutua nas férias escolares, nos fins de semana e no período noturno. Ou seja, podemos considerar uma população de uma cidade de pequeno à médio porte.

4) Como deve ser realizada a gestão de risco no ambiente escolar?

A gestão de risco é imprescindível nos dias de hoje para o cumprimento da missão da instituição. Quando conseguimos identificar, analisar, avaliar e desenvolver estratégias de contingenciamento aos riscos, nota-se a pró atividade e não a reatividade, proporcionando assim uma gestão mais ágil.

Portanto, a gestão de risco deve estar alinhada à governança, ao planejamento, na melhora da entrega dos serviços e na tomada rápida das decisões.