BLOG

Hackers podem acessar câmeras CFTV?

Ter suas câmeras CFTV invadidas por hackers é uma preocupação constante na rotina de profissionais que trabalham com segurança eletrônica para a proteção de suas empesas. Entenda os tipos de câmeras que estão sujeitas a ataques assim e em que situações esses equipamentos se tornam vulneráveis.

Ransomwares podem expor o sistema a ataques; Saiba como se prevenir

Ransomwares podem expor o sistema a ataques; Saiba como se prevenir

Minhas câmeras CFTV estão sujeitas a ataques?

A resposta para essa pergunta pode ser positiva a depender da situação. A verdade é que qualquer câmera de vigilância conectada à internet pode sim ter seus dados expostos a ações mal-intencionadas.

Na realidade, os ataques não são restritos a câmeras, mas podem também afetar aparelhos de gravação das imagens (DVR), roteadores e computadores onde os dados são armazenados. Entenda a seguir os meios mais básicos em que indivíduos isolados ou programas malware (que realizam ataques em massa) utilizam para acessar o sistema de vídeo da sua organização.

Acesso de hackers a redes Wi-Fi

Como dissemos acima, qualquer aparelho de vigilância conectado à internet é vulnerável a ataques. Câmeras CFTV digitais dos modelos IP são as mais conhecidas por estarem expostas a tais ações, pois todos os seus equipamentos atuam ligados a uma mesma rede de dados quando conectados. O problema é que, se for utilizada uma rede simples e sem um firewall potente para protegê-la, é bastante fácil realizar o rastreamento e invadi-la.

Cada vez mais, gestores precisam expor seu sistema de vídeo online para obter acesso remoto às imagens (através de computadores, smartphones e aplicativos), mas não fazem ideia do risco de fazer isso sem a devida proteção. Colocar suas imagens em nuvem ou sites fechados para serem acessadas fora do loca de armazenamento permite brechas nos protocolos de segurança, deixando seu sistema inda mais vulnerável.

Estou seguro com câmeras CFTV analógicas?

É muito comum que muitas empresas fiquem receosas quanto aos riscos oferecidos pelos modelos digitais e optem por instalar apenas câmeras CFTV analógicas. Nesse caso, as câmeras em si não serão alvo de ataques pelo simples motivo de não poderem ser conectadas à internet.

Mas fique atento! Lembre-se que qualquer aparelho conectado à internet pode sofrer ataques. Então, se, após gravar imagens em seu aparelho analógico, você realizar o armazenamento em computadores com acesso à internet, o perigo continua existente.

Esse cenário ocorre em um parque de câmeras analógicas que precisam enviar suas imagens para nuvens a fim de que programas realizem a análise inteligente de vídeo, por exemplo. Em casos assim, todos os riscos já mencionados continuam válidos.

Câmeras analógicas podem ter analíticos de vídeo

Câmeras analógicas podem ter analíticos de vídeo

Acesso de hackers a senhas de segurança

Outra forma bastante comum de estar vulnerável a acesso de hackers em seus aparelhos de vigilância é utilizar as senhas padrão que já vêm configuradas de fábrica ou alterá-las para senhas bastante óbvias. Muitos fabricantes disponibilizam suas chaves de acesso online, então, é relativamente fácil obter essa informação.

Além disso, o usuário pode atualizar sua senha criando uma palavra-chave complexa mas realizar essa alteração apenas nos sites e dispositivos móveis, esquecendo de fazer o mesmo em seus dispositivos do próprio parque de vídeo e datacenter (câmeras, DVRs, roteadores, computadores).

Saiba mais detalhes sobre os métodos utilizados por programas e usuários hackers para invadir suas câmeras CFTV e aprenda a se prevenir de ações maliciosas neste outro artigo.