BLOG

Entenda a diferença entre monitoramento de eventos x imagens

Entre os diversos recursos da segurança eletrônica, o videomonitoramento é um dos que mais se destaca em virtude das tecnologias que evoluem a cada dia. Se você possui um sistema CFTV para vigiar o que ocorre em sua propriedade, com certeza entende a importância de utilizar um conjunto de câmeras que registrem bem todos os acontecimentos principais de cada local.

Mais que isso, não basta gravar com qualidade, é preciso também garantir um bom monitoramento de todas essas imagens após sua obtenção, pois de nada adianta investir em equipamentos robustos se ninguém está observando as telas quando é preciso. É neste ponto onde a diferença entre monitoramento de eventos e imagens se torna crucial.

Entenda que tipo de acompanhamento de imagens está sendo realizado em seu negócio e como isso afeta a produtividade de sua equipe e, por consequência, a sua proteção patrimonial.

O videomonitoramento é mais eficiente quanto os operadores são treinados para atuar junto aos analíticos inteligentes

O videomonitoramento é mais eficiente quanto os operadores são treinados para atuar junto aos analíticos inteligentes

Leia também: Você sabe como atua uma empresa de videomonitoramento inteligente?

Análise de imagem

A forma mais comum de se monitorar vídeos de segurança é através da análise de imagens, método em que uma equipe de operadores CFTV trabalha dentro de uma central (que pode ser externa, caso você terceirize, ou dentro da sua própria empresa, caso você tenha um Data Center) observando cada segundo das gravações de forma ininterrupta em busca de qualquer acontecimento fora do padrão. Muitas empresas adotam esse método por ser o mais simples de pôr em prática e mais barato (à primeira vista), pois não exige tecnologia de ponta para sua execução.

O problema é que essa opção pode se mostrar bastante ineficaz a depender do tamanho e preparação da sua equipe. Para obter cobertura 24h da sua propriedade, é preciso ter um número de profissionais suficientes para que haja troca de turnos constantes (que podem variar entre regimes de 6h, 12×36, entre outros) e distribuir o menor número de telas possível para cada um.

No entanto, à medida em que o número de câmeras nos estabelecimentos vai aumentando, muitas empresas não contratam operadores adicionais, sobrecarregando a atividade da equipe já existente.

Muitas telas, pouca eficiência

Infelizmente, não são raros os casos de empresas onde cada operador monitora cerca de 20 a 30 telas ao mesmo tempo. Essa prática acaba por colocar em risco a produtividade de qualquer operador por mais bem capacitado que ele seja, pois a filtragem de tantas imagens diferentes pelo cérebro humano se torna comprometida.

É o que mostra um experimento realizado pela Polícia Britânica (UK Police Scientific and Development Branch): pedia-se que funcionários tentassem identificar, diante de telas de videomonitoramento, a imagem específica de uma pessoa usando guarda-chuva em uma rua em meio a uma multidão.

Os resultados revelaram que, diante da análise de uma única tela, a taxa de acerto dos operadores era de 85% em achar o evento solicitado (a pessoa com o guarda-chuva). Quando o número de telas observadas subia para 4, a taxa de acerto caía para 74%. Já diante de 6 telas, esse índice despencava para 58%. E, finalmente, diante de 9 telas diferentes, os operadores eram assertivos apenas em 53% das vezes. O experimento nos ajuda a ter certeza de uma conclusão óbvia: quanto mais telas para monitorar, pior a eficiência do operador.

Um sistema de segurança proativo também reduz o custo com pessoas

Um sistema de segurança proativo também reduz o custo com pessoas

Analíticos de vídeo: vigilância inteligente

De forma contrária ao que ocorre na análise integral de imagens, os analíticos de vídeo proporcionam um a vigilância mais otimizada e precisa acerca das situações de risco que interessam para a equipe de segurança (e que afetam a corporação inteira). Analíticos de vídeo são programas de computador configurados para examinar as imagens obtidas das câmeras de vídeo e pesquisar entre elas algo que represente perigo ou mudança de padrão, como: pessoa ou objeto cruzando uma linha, objeto retirado de algum local, objeto abandonado, abuso de permanência, entre outros.

Após realizar o monitoramento de eventos e catalogar aqueles que representam uma não conformidade, o software envia automaticamente um alerta para a tela de monitoramento. Ou seja, o operador humano não precisar mais observar ininterruptamente as imagens de forma exaustiva, pois o analítico de vídeo irá avisar quando houver uma mudança na cena.

Com isso, é possível ainda economizar recursos e energia ao programar as câmeras para ligarem apenas quando um evento for detectado e, assim, ter mais espaço de armazenamento (os equipamentos de gravação perdem muito espaço com imagens “inúteis” para o monitoramento, que são as cenas rotineiras/dentro do padrão).

Assistir ou tratar a ocorrência captada pelo monitoramento?

As diferenças entre os dois modelos de monitoramento começam a ficar mais explícitas no contexto atual, em que novas formas de crimes preocupam os gestores e, diante disso, evidências de imagens são bastante úteis para investigações posteriores. Sem falar na maior capacidade de prevenção dessas ações perigosas, pois é possível detectar um suspeito no ato em que ele está prestes a cometer um crime e ganhar, assim, bastante tempo hábil para tratar a ocorrência e/ou chamar as autoridades responsáveis.

A partir dessa mudança, a tarefa de segurança patrimonial deixa de ser reativa e se torna cada vez mais preventiva. Os analíticos de vídeo inteligente auxiliam na redução drástica de ocorrências perigosas sem tratamento e na maior produtividade da equipe de monitoramento, que se torna capaz de observar mais telas simultaneamente sem perder a eficácia na atividade.

Caso o sistema de câmeras de monitoramento seja analógico, é possível aproveitar o legado e implantar analíticos inteligentes.

Caso o sistema de câmeras de monitoramento seja analógico, é possível aproveitar o legado e implantar analíticos inteligentes.

Apesar de exigir um investimento inicial maior em comparação com sistemas de monitoramento de imagens, a tecnologia de softwares analíticos de vídeo gera um bom retorno de investimento, já que apresentam altos resultados na prevenção de perdas e danos patrimoniais e na própria segurança pessoal dos colaboradores/visitantes.

Caso você opte por contratar uma empresa terceirizada para realizar o monitoramento de eventos em sua planta, contará com a vantagem de que a prestadora terá toda a responsabilidade de realizar instalação, manutenções, atualizações e armazenamento, além de não precisar de um alto valor inicial, pois o investimento é mensal. Um dos grandes aliados da indústria no monitoramento de segurança é o AMS, que você pode conhecer melhor neste post.