BLOG

Por que escolas precisam de controle de acesso

Sua escola possui sistema de segurança que utiliza controle de acesso para pessoas e veículos, além de monitoramento por vídeo? Algumas tecnologias e equipamentos podem fazer grande diferença no seu plano de segurança, fornecendo uma proteção mais assertiva para alunos, professores e familiares.

O Brasil lidera um ranking de violência nas escolas elaborado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com mais de 100 mil professores e diretores de escola do segundo ciclo do Ensino Fundamental e do Ensino Médio (alunos de 11 a 16 anos).

O levantamento considera dados de 2013, quando 12,5% dos professores brasileiros ouvidos relataram ser vítimas de agressões verbais ou de intimidação de alunos ao menos uma vez por semana. A média entre os 34 países pesquisados é de 3,4%. O Brasil é seguido por Estônia (11%) e Austrália (9,7%).

Além das agressões físicas e verbais, as condições de trabalho são muito estressantes em algumas regiões. No caso do Rio de Janeiro, por exemplo, professores convivem com confrontos armados nos arredores das escolas onde trabalham e ameaças recorrentes de estudantes e familiares. Mesmo não sendo a solução global para este que é um problema de segurança pública, o controle de acesso pode inibir e minimizar o fluxo de pessoas desconhecidas que queiram agir de ma fé no ambiente estudantil, podendo até evitar acidentes e tragédias, como já ocorridos no País.

Confira, neste artigo, detalhes da diferença na rotina dessas instituições quando há sistemas de controle de acesso implantados com tais estratégias e quando não há.

Saber quem entra e sai de uma escola é fundamental para proteger alunos, professores e funcionários

Saber quem entra e sai de uma escola é fundamental para proteger alunos, professores e funcionários

Sem controle de acesso e monitoramento

O ambiente escolar é um local bastante propício a tensões por causa do alto número de pessoas circulando em um mesmo local diariamente, especialmente alunos e professores. Além disso, quando há a necessidade da presença de pais e familiares na propriedade para acompanhamento dos estudantes, a entrada e saída de pessoas pode ficar extremamente tumultuada, perdendo-se facilmente o controle exato de quem transita em determinado horário e entra em contato com os alunos.

No Brasil, existem exemplos de consequências graves geradas pelo fraco controle de acesso, como o recente massacre em uma escola em Suzano, na grande São Paulo, no qual dois ex-alunos entraram na instituição e mataram sete pessoas, sendo duas delas funcionários.

Cenários assim deixam alertas sobre as principais fraquezas nas estratégias de segurança em escolas e que, infelizmente, são recorrentes nas instituições brasileiras. Planos de segurança com ausência de análise de riscos tornam a propriedade extremamente vulnerável a intrusões, ataques e outros tipos de crimes.

Vulnerabilidade em portões

Muitas escolas contratam vigias ou monitores para a tarefa de vigilância dos portões de entrada. O problema é que em colégios com área extensa e diversos portões, é necessário pelo menos um funcionário para cada entrada e com troca de turnos entre as equipes para permitir vigilância durante todo o horário de funcionamento (sem falar nos horários em que a instituição está fechada e sem vigias, podendo ser invadida com mais facilidade).

Além disso, esses profissionais, por vezes, necessitam realizar outras tarefas, como controle de alunos nos pátios, quadras e corredores durante os intervalos para recreio e almoço. Assim, não conseguem atuar exclusivamente na proteção das entradas, o que pode representar riscos para a segurança dos locais.

Ausência de monitoramento por vídeo

O monitoramento por vídeo é um ponto crítico para esse cenário, pois mesmo escolas que possuem algum sistema de câmeras podem conter equipamentos que não funcionam da forma correta. Sistemas reativos são os mais utilizados devido ao seu baixo custo, o que gera dificuldades posteriores quando uma situação fora do padrão ocorre e precisa ser averiguada por filmagens que nem sempre existem.

São diversos os motivos para essa dificuldade. A parte elétrica da propriedade pode afetar o sistema de cabos e deixar as câmeras fora do ar por muito tempo sem nenhum alerta, pegando os gestores de surpresa ao descobrirem que uma imagem importante não foi gravada. Ou simplesmente podem ser instaladas câmeras analógicas com resolução extremamente baixa, impedindo uma análise precisa das cenas obtidas.

Por consequência, suspeitos não podem ser identificados ou provas legais não podem ser coletadas, gerando atrasos em processos investigativos. Também, o monitoramento das atividades diárias dos estudantes se torna mais difícil, pois não há tecnologias de suporte para verificar se determinada turma estava presente em algum evento (como provas ou competições) dentro do horário previsto, por exemplo.

A entrada deliberada de pessoas pode por em risco a integridade dos alunos.

A entrada deliberada de pessoas pode por em risco a integridade dos alunos.

Com controle de acesso e monitoramento

Tecnologias de segurança trazem diversos benefícios e auxiliam na redução de riscos e prevenção de perdas em diversos cenários, especialmente nas propriedades escolares. É importante lembrar que, antes de implementar qualquer uma das soluções abaixo, é necessário fazer uma boa instalação das suas câmeras e cabeamento nos locais a serem monitorados para que as imagens tenham boa qualidade.

Programas para detecção de queda de sinal (sistemas up/down) também são uma boa opção, pois alertam automaticamente a equipe de manutenção quando há algum problema. A seguir, mostramos de que forma isso pode ser feito a partir de diversos equipamentos e sistemas com suas aplicações práticas.

Detecção de situações de risco

O uso da análise inteligente de vídeo permite observar com precisão imagens de pessoas e veículos que adentram a propriedade escolar, pois os softwares analíticos de vídeo realizam a filtragem das imagens gravadas e detectam situações específicas. Como a detecção é automática e gera alerta nas telas de vídeo, nenhum evento passa despercebido pelos funcionários da equipe de monitoramento e providências cabíveis são adotadas rapidamente.

Entrada e saída de pessoas e veículos otimizada

Ao associar seu sistema de vídeo inteligente com equipamentos de controle de acesso (catracas, cartões magnéticos, biometria, tags, convite eletrônicos, etc), obtém-se um monitoramento com funções eletrônicas para realizar liberações de entrada dentro da propriedade.

Ainda é possível realizar listas negativas e positivas para pessoas e veículos que possam ter acesso à escola. Outro elemento que traz maiores vantagens a esse ponto é a tecnologia de reconhecimento facial, permitindo identificação exata dos indivíduos, mesmo nos horários de pico e em meio a aglomerações. Se houver um banco de dados de suspeitos atuantes na região, alertas automáticos podem ser gerados para a equipe de monitoramento, tornando a resposta mais ágil e eficaz.

cameradesegurancainterna

Vigilância das atividades diárias

Por fim, maior segurança e bem-estar são proporcionados aos alunos e familiares, pois contam com uma proteção preventiva, ágil e precisa. Desfechos negativos são reduzidos graças ao aumento no tempo de resposta e à atuação das tecnologias de vídeo, que deixam as equipes de solo disponíveis para atuarem mais próximas aos estudantes nos horários de aula.

Ainda é possível fornecer confiança aos familiares, que têm acesso a informações precisas sobre a frequência e permanência dos estudantes no ambiente das escolas e ao controle otimizado sobre horários das atividades realizadas. Se você deseja realizar um projeto de videomonitoramento e controle de acesso para sua escola, entre em contato conosco e solicite um projeto de acordo com suas necessidades.